Exercício de 2019

O Grupo KUKA manteve-se estável apesar da difícil conjuntura de mercado, com resultados aprimorados e um fluxo de caixa positivo

26 de março de 2020

  • O EBIT apresentou um aumento de 39,4 %, ou seja, 47,8 milhões de euros em relação a 2018, a margem EBIT cresceu 1,5 % (2018: 1,1 %)

  • Fluxo de caixa positivo (20,7 milhões de euros) pela primeira vez em três anos e um aumento do fluxo de caixa operacional para 214,5 milhões de euros (2018: -48,2 milhões de euros)

  • Frágil conjuntura nos mercados principais: A entrada de pedidos diminuiu cerca de 3,5%, o faturamento sofreu uma leve queda de 1,5%, somando 3.192,6 milhões de euros

  • 500 milhões de euros destinados a investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento para os próximos três anos

  • CEO Peter Mohnen: "Estamos de volta aos trilhos. No entanto, devido ao Corona, novos obstáculos deverão ser superados."

A KUKA, especialista em automação sediada em Augsburgo, apresentou hoje os seus resultados comerciais. O CEO Peter Mohnen já havia antecipado seus comentários sobre a pandemia de coronavírus. "Na verdade, nós nos havíamos preparado para um outro cenário. No entanto, a pandemia nos atinge e nos afeta diretamente”, afirmou o CEO. Ele elogiou a coesão de seus colaboradores e ressaltou a importância de reconhecer os profissionais que atuam na área médica, enfermagem, bem como cuidadores em todo o mundo. Para a KUKA, resta agora superar os novos desafios e "preparar-se para a fase posterior ao Corona".

A KUKA apresenta uma grande vantagem: os números do exercício fiscal passado refletem uma estabilidade e melhora significativamente de seus resultados. "2019 foi um ano de grandes mudanças. Os desafios econômicos, bem como a mudança tecnológica rumo a novos desafios no setor automotivo tornaram os investimentos de nossos clientes mais cautelosos", informou Peter Mohnen. "Na KUKA sempre reagimos cedo às mudanças estruturais: Com as medidas certas, obtivemos um bom resultado, apesar do faturamento mais baixo. Nosso Fluxo de Caixa Livre apresenta um aumento de mais de 200 milhões de euros em relação a 2018. Pela primeira vez, desde 2015, saímos do vermelho. Apesar dos tempos difíceis, estamos "de volta aos trilhos". No entanto, devido ao Corona, novos obstáculos deverão ser superados."

Mercados de foco crescente, como o comércio eletrônico/varejo e bens de consumo, tiveram um impacto positivo na divisão de intralogística da subsidiária da KUKA, Swisslog, em 2019. Contudo, o contexto econômico permaneceu particularmente tenso nos setores automotivo e eletrônico, bem como na Europa e na China. A entrada de pedidos e as vendas do especialista em automação com sede em Augsburg, na Alemanha, diminuíram em relação ao ano anterior.

Para 2020, a KUKA continua projetando um contexto econômico difícil, agravado pela crise do coronavírus. "A pandemia impõe à economia e à nossa sociedade desafios totalmente novos. E não é só na KUKA que sentimos isto, mas em todo o mundo", afirmou Peter Mohnen. "Apesar de tudo, eu me orgulho em ver a coesão de nossos colaboradores nestes tempos difíceis que estamos vivendo. Vamos trabalhar juntos para superar esta crise, temos na estabilidade um bom ponto de partida."

O CEO enfatizou que, agora, em vez de discutir sobre as conjunturas do mercado, é necessário definir os fatores certos de alavancamento para o futuro: Nos próximos três anos, a KUKA planeja investir cerca de 500 milhões de euros em Pesquisa e Desenvolvimento, para impulsionar inovações. Cada divisão de negócios concentra ativamente suas inovações em áreas de crescimento. O objetivo é expandir os negócios para novos mercados, softwares e serviços digitais. Ao mesmo tempo, a KUKA permanece focada no tema da sustentabilidade, trabalhando para preservar recursos direcionados para melhorias no portfólio e redução do consumo de energia em suas próprias fábricas, bem como nas de seus clientes.

O novo robô KR IONTEC destaca-se pelo seu baixo consumo de energia, custos operacionais reduzidos e pouca manutenção. "Graças à sua ampla experiência em diversos mercados, a KUKA oferece produtos sustentáveis, soluções inteligentes e serviços virtuais em tempos de transformações sociais e digitais", declarou Peter Mohnen. "Isto faz com que nossos clientes nos enxerguem como parceiros sólidos e confiáveis, especialmente em momentos críticos."

Resultados financeiros em 2019 - Grupo KUKA

O Grupo KUKA registrou uma queda na entrada de pedidos de 3,5 %, ou seja, 3.190,7 milhões de euros (para fins de comparação, em 2018: 3.305,3 milhões de euros). As receitas de vendas diminuíram 1,5 % para 3.192,6 milhões de euros (2018: 3.242,1 milhões de euros). No exercício de 2019, o índice de pedidos para vendas ("Book-to-Bill-Ratio") foi de 1,00, apresentando assim um leve declínio em relação ao exercício anterior (2018: 1,02). Valores acima de 1,00 correspondem a um bom grau de ocupação e indicam crescimento.

Em que pese a difícil conjuntura econômica, o EBIT apresentou crescimento significativo, passando de 34,3 milhões de euros em 2018 para 47,8 milhões de euros no exercício financeiro corrente. A KUKA reagiu a tempo às mudanças estruturais e implementou extensas medidas de eficiência em janeiro de 2019. Isso permitiu aprimorar de forma significativa a estrutura de custos, particularmente nas funções centrais. A margem EBIT refletiu um crescimento de 1,1 % para 1,5 % no exercício de 2019.

O número de funcionários da KUKA em 31 de dezembro de 2019 era de 14.014 empregados (exercício anterior: 14.235). O programa de eficiência implementado no início de 2019 também incluiu uma redução socialmente responsável de 350 postos de trabalho na unidade de Augsburg. Este programa foi concluído no final do ano.

Systems

No segmento de negócio Systems, particularmente responsável pela engenharia industrial na área automotiva, as entradas de pedidos diminuíram, passando de 959,8 milhões de euros em 2018 para 858,0 milhões de euros no exercício financeiro corrente. Isto corresponde a um recuo de 10,6 % e reflete uma sensível cautela dos clientes em relação à concessão de pedidos. A tendência movida pela tecnologia na indústria automotiva favoreceu a remodelação das linhas de produção existentes, em vez da instalação de novos sistemas, contribuindo desta forma para uma redução significativa do tamanho do mercado. Com 925,4 milhões de euros, as receitas de vendas se mantiveram inalteradas no mesmo patamar de 2018 (925,4 milhões de euros). As receitas de vendas do volume reduzido de pedidos puderam ser compensadas pelo início da produção na KTPO (KUKA Toledo Production Operations em Ohio/EUA). O índice de pedidos para vendas ("Book-to-Bill-Ratio") foi de 0,93 em 2019, em queda em relação ao exercício anterior, o qual aferiu 1,04. O EBIT totalizou 26,9 milhões de euros e ficou portanto 8,8% abaixo do valor do ano anterior, de 29,5 milhões de euros. O resultado sofreu impacto negativo devido a situação frágil do volume de pedidos e a problemas acarretados por projetos na Europa. A alta complexidade desses projetos levou a atrasos no processamento destes e, consequentemente, provocou custos adicionais. A margem EBIT sofreu uma queda de 3,2 % para 2,9 % no exercício corrente.

Robotics

No exercício de 2019, o segmento de negócios Robotics aferiu uma entrada de pedidos no montante de 1.037,1 milhões de euros, ficando 13,3 % abaixo do valor do ano anterior (2018: 1.196,5 milhões de euros). As receitas de vendas diminuíram cerca de 7,1 % para 1.159,2 milhões de euros no ano de referência (2018: 1.247,3 milhões de euros). Devido à difícil conjuntura da economia global, a qual persiste, os clientes continuam a manter cautela no envio de pedidos. O índice de pedidos para vendas ("Book-to-Bill-Ratio") foi de 0,89 (2018: 0,96). O volume inferior de vendas, assim como o desenvolvimento econômico tenso em uma subárea do segmento de Robótica nos últimos anos, tiveram um impacto negativo nos resultados. A subárea mencionada fornece soluções de fabricação automatizada, como células e máquinas especiais no mundo todo. Em setembro de 2019, a KUKA anunciou uma reestruturação para sanar este efeito, a qual impactou negativamente o EBIT do ano de referência em dezenas de milhões de euros. O EBIT do segmento Robotics foi de 37,7 milhões de euros, contra 80,9 milhões de euros no ano anterior. A margem EBIT aferida foi de 3,3 % e ficou portanto abaixo da margem do ano anterior de 6,5 %. No exercício anterior, uma venda de ações da empresa atingiu dezenas de milhões de euros e teve portanto um impacto positivo no EBIT.

Swisslog

A unidade de Logística da Swisslog apresentou um forte crescimento da entrada de pedidos: cerca de 24,8 % para 750,2 milhões de euros, enquanto que em 2018 o valor aferido foi de 601,1 milhões de euros. Este crescimento foi atingido graças à implementação consistente da estratégia de crescimento. A Swisslog beneficia-se da contínua alta demanda global de clientes em seus mercados-alvo de comércio eletrônico/varejo e bens de consumo. A receita de vendas totalizou 600,0 milhões de euros e ficou portanto 1,2 % abaixo do nível do ano anterior, de 607,1 milhões de euros. O índice de pedidos para vendas ("Book-to-Bill-Ratio") aumentou para 1,25 (2018: 0,99). O EBIT apresentou um crescimento substancial de 10,5 milhões de euros, contra -0,2 milhões de euros no ano anterior. A margem EBIT refletiu um crescimento de 1,8 %, contra 0,0 % em 2018.

Swisslog Healthcare

A entrada de pedidos da Swisslog Healthcare totalizou 251,3 milhões de euros em 2019 e ficou portanto 7,2 % abaixo do nível do ano anterior, o qual aferiu 234,5 milhões de euros. Foi gerado um maior número de pedidos neste segmento, principalmente na área de Pharmacy Automation, bem como na de Transport Automation. As receitas de vendas do exercício corrente totalizaram 222,3 milhões de euros, e ficaram portanto 4,4 % acima do nível do ano anterior, o qual aferiu 212,9 milhões de euros. O crescimento se deve principalmente às áreas de Pharmacy Automation e Transport Automation. O índice de pedidos para vendas ("Book-to-Bill-Ratio") foi de 1,13 em 2019, superior ao de 2018 que foi de 1,10. O EBIT ficou em -10,0 milhões de euros, contra -4,7 milhões de euros no mesmo período do ano anterior. Isso corresponde a uma margem de EBIT de -4,5 % (2018: -2,2 %). Esta diminuição é devida, entre outras coisas, a efeitos pontuais. Além disso, a piora da situação dos projetos dos clientes em andamento e o aumento das despesas com P&D tiveram um impacto negativo no resultado. A Swisslog Healthcare continuou a investir no desenvolvimento de softwares e ampliou seu portfólio de produtos para fortalecer a sua base de clientes.

China

O segmento China apresentou uma entrada de pedidos da ordem de 456,4 milhões de euros em 2019. Este número reflete um leve recuo de 14,8 % em relação ao ano anterior (2018: 535,9 milhões de euros). Na China, percebe-se claramente a cautela dos clientes em relação a novos pedidos devido à evolução da política comercial e às incertezas globais, principalmente na indústria automotiva e na eletrônica. As receitas de vendas caíram cerca de 13,2 %, passando de 527,9 milhões de euros para 458,2 milhões de euros, este resultado é um reflexo direto da diminuição da entrada de pedidos. No entanto, foi possível manter uma participação de mercado estável apesar do mercado de robôs industriais estar ocasionalmente em baixa. O índice de pedidos para vendas ("Book-to-Bill-Ratio") foi de 1,00 em 2019 e manteve-se estável (2018: 1,02). O EBIT totalizou 3,6 milhões de euros no exercício decorrido (2018: -5,4 milhões de euros). Isso corresponde a uma margem de EBIT de 0,8 % (2018: -1,0 %). Apesar das difíceis condições conjunturais, a margem apresentou uma leve melhora em relação ao ano anterior e foi ligeiramente positiva no final do ano. Este crescimento se deve parcialmente aos efeitos positivos em decorrência da modificação no método de consolidação no primeiro trimestre de 2019. Neste caso, uma subsidiária chinesa foi desconsolidada e, em contrapartida, foi registrada uma participação acionária de 50 %. A cautela mantida pelos clientes em relação a novos pedidos teve um impacto negativo no desenvolvimento da margem.

Perspectivas para 2020

No momento, é impossível estimar o impacto da crise do coronavírus nos resultados previstos. Portanto, nenhuma previsão de vendas, nem estimação de resultados pode ser realizada por enquanto. Esta particularidade foi apontada no Relatório Anual . A KUKA está empenhada em se preparar para os tempos que virão após a pandemia do coronavírus. O Grupo é particularmente forte nos tópicos que estão atualmente em foco devido à pandemia: Serviços digitais e online, logística, automação com robôs e toda a área de Healthcare (Cuidados médicos).

Baixar notícias

Configurações de cookies OK e descubra a KUKA

Este site utiliza cookies (mais sobre isso), para lhe oferecer também o melhor serviço online. Se você continuar a usar o nosso site, somente usaremos cookies tecnicamente necessários. Se você clicar em ""OK e descubra a KUKA"", você também concordará com o uso de cookies de marketing. Com um clique em ""Configurações de cookies"" você pode escolher, quais cookies nós usamos.

Configurações de cookies