Aplicação de CHR na montagem de robôs

Junto com os seus colegas humanos o robô de construção leve KUKA LBR iiwa parafusa os redutores para o robô industrial QUANTEC. E provê um trabalho mais produtivo e ergonômico.

A situação inicial

Como se otimiza a própria montagem de robôs? Da mesma forma que o faríamos para um cliente "Nós fazemos as perguntas certas, encontramos uma solução individual e apropriada, e a convertemos em uma aplicação coerente com a prática", segundo Henning Borkeloh, Vice President Advanced Technology Solutions na KUKA Systems. O uso do robô de construção leve KUKA LBR iiwa já tinha se consolidado na montagem para a mão central do robô QUANTEC. Agora ele deveria parafusar também os seus balancins de redutores. O assistente rolante começou a trabalhar na montagem no início de 2015.

A função

Trata-se da montagem de redutores para o balancim de robô do KR Quantec na própria produção da KUKA. O redutor deve ser parafusado, de acordo com as especificações de construção, com um torque exato de 104 Newton-metros. Um trabalho monótono e ergonomicamente desfavorável.

A solução

Quando o colaborador toca o KUKA LBR iiwa, ele sinaliza ao robô para iniciar o processo de parafusamento automático. Em seguida, o robô de construção leve começa a se ajustar à estação de trabalho graças às suas propriedades sensitivas e responsivas. Enquanto isso, o colaborador carrega a segunda mesa de apoio com um novo balancim. Os balancins já contêm parafusos inseridos, que o KUKA LBR iiwa aperta na sequência e com o torque exato, conforme as especificações de construção. Somente depois de um novo toque do colaborador o KUKA LBR iiwa começa a montar os parafusos do segundo balancim. O trabalhador pode intervir a qualquer hora no processo de trabalho. Não são necessárias cercas de proteção separadoras. 

Der Werker kann direkt neben dem Roboter den Vorgang steuern
O trabalhador pode intervir a qualquer hora no processo de trabalho. Não são necessárias cercas de proteção separadoras.
Além disso, a aplicação móvel do KUKA flexFELLOW oferece a vantagem da constante documentação, o que aumenta a qualidade e a segurança de processo. "Nós vivemos o lema 'Industrie 4.0' também na nossa própria produção". Aqui robôs constroem robôs e isso com a colaboração humana. A DGUV (Seguro Social de Acidentes Alemão) também nos confirmou o quão segura é esta colaboração. O benefício do cliente, além disso, está na pouca necessidade de área do sistema, no aumento da produção e na melhoria da situação ergonômica para os colaboradores", diz Borkeloh. Tudo está focado na colaboração do homem e robô. Além disso, o KUKA flexFELLOW também pode ser usado na montagem manual. Independente se homem ou robô, a produção em andamento sempre pode ser assegurada assim.
Para que o robô possa trabalhar com segurança com o seu colega humano, a KUKA levou em consideração o sistema completo desde o início. Isto foi essencial, pois mesmo que o robô se mova em velocidade segura e pare imediatamente, tão logo ele sinta a menor resistência, até mesmo o sistema de sensores mais sensível não é suficiente caso ele, por exemplo, segure uma peça pontuda em sua garra. Um órgão independente confirmou que as medidas de segurança são, de fato, efetivas durante o cotidiano do trabalho: em 2015, a entidade de classe Órgão de Teste e Certificação do Seguro Social de Acidentes Alemão (DGUV Test) para máquinas e automação de fabricação certificou o sistema flexFELLOW. Com isso ele atende a todos os critérios para valores-limite biomecânicos conforme a ISO/TS 15066 e, além disso, está em conformidade com a Diretiva de Máquinas 2006/42/CE.  É, portanto, um sistema seguro.
O pequeno sistema móvel atende todos os critérios para valores-limite biomecânicos conforme a ISO/TS 15066 e, além disso, está em conformidade com a Diretiva de Máquinas 2006/42/CE.

Nós vivemos o lema 'Industrie 4.0' também na nossa própria produção.

Nós utilizamos cookies para oferecer a você o melhor serviço online. Saiba mais.

Ok